AFTAS/ÚLCERAS AFTOSAS

1. O QUE SÃO AFTAS?

São lesões da cavidade oral e adjacência (lábios), geralmente recorrentes, únicas ou múltiplas.

2. SÃO FREQUENTES?

Realmente são muito freqüentes, geralmente não causam maiores problemas, a não ser o desconforto da sua presença. Mais de 40% das crianças menores de 15 anos tem a manifestação de lesões aftosas, incidindo mais intensamente no sexo feminino.

3. SÃO CONTAGIOSAS?

Infelizmente, geralmente sim.

4. QUAIS AS CAUSAS?

A real causa é desconhecida, mas fatores virais e de hipersensibilidade devem ser consideradas como causadoras. Existem características que induzem a presunção diagnóstica, como segue:

Características
Úlcera aftosa minor
Úlcera aftosa major
Úlcera herpetiforme
Idade de surgimento
+/- 20 anos
Infância até 20 anos
Variável – 30 anos
Incidência
80 – 85% casos
10 – 15% casos
5 – 10% casos
Nº de lesões
1 à 5
1 à 3
5 à 20(até mais)
Dimensões lesões(mm)
menores de 10mm
maiores de 10mm
1à 2 mm
Evolução/Duração
1 à 2 semanas
2 à 3 semanas
1 à 2 semanas
Localização usual
mucosas(internamente)
interna/externamente
interna/externamente
Características
sintomas mínimos
recorrentes/dolorosa
recorrentes/+dolorosa

5. EXISTEM FATORES DESENCADEANTES DAS RECURRÊNCIAS?

Sim, inclusive podem estarem associadas a outras enfermidades (Doença de Chron, Infecções pelo herpervírus, Síndrome da imunodeficiência adquirida – HIV, Lupus Eritematoso Sistêmico), uso prolongado de cortocoesteróides, ”stress” de qualquer natureza, deficiências nutricionais (vitamínicas dos grupos B e C; deficiência de ferro, ácido fólico...), alergias alimentares (café, chocolate, frutas ácidas...), distúrbios gastrointestinais (diarréias, vômitos...), flutuações hormonais (pré-menstrual, instabilidades emocionais, uso de antiinflamatórios...

6. COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

Geralmente o diagnóstico é clínico. Usualmente não há a necessidade de exames laboratoriais a não ser em situações muito especiais quando há a suspeita de outras enfermidades, supracitadas.

O exame histopatológico das lesões geralmente dá resultado inespecífico, servindo apenas para descartar outras enfermidades, como as lesões neoplásicas muco-cutâneas.

7. COMO DEVE SER TRATADO?

O tratamento é inespecífico e visa o alívio da dor e do desconforto, facilitando a alimentação. É recomendável mais do que nunca uma higiene bucal criteriosa: escovar os dentes inúmeras vezes durante o dia, complementar a escovação com um bochecho com anti-séptico bucal, uso de analgésicos tópicos (lidocaína a 2% em gel, ou spray com hidrocloreto de benzidamina, bochechos com CEPACAÍNA), havendo infecção secundária (geralmente instalada por má higiene oral, estará indicado o uso de antibióticos tópicos/locais), existem recomendações para o uso de corticoesteróides tópicos, entretanto Eu pessoalmente desaconselho, pelo fato das lesões aftosas herpéticas sofrerem até agravamento das lesões, principalmente nos primeiros episódios. Nestas lesões herpéticas o uso de aciclovir tópico oferece benefícios razoável, quando usados freqüentemente (6 à 8 vezes/dia), encurtam as crises e até afastam os episódios recorrentes.

8. EXISTE CURA PARA ÚLCERAS AFTOSAS?

Infelizmente as expectativas são muito reservadas, isto pelo fato das causas serem efetivamente desconhecidas. Entretanto devemos encarar com muita seriedades TODAS as crises, pois a experiência nos orienta que o adequado tratamento dos diversos episódios, oferecem espaçamentos das crises, com benefícios aos pacientes. Eu particularmente tenho constatado situações onde o paciente obtém anos de remissão quando trata todas as crises com dedicação.


Rua Três de Maio, nº 1040 - Pelotas/RS - Fone: (53)32253164