CÃIMBRAS

1. O QUE SÃO CÃIMBRAS?

São contrações vigorosas, dolorosas e involuntárias da musculatura esquelética, de qualquer área corporal, que muitas vezes podem até determinar um movimento do segmento envolvido, podendo ser percebido a contratura muscular por palpação.

2. SÃO FENÔMENOS FREQUENTES?

Sim, incidindo em qualquer idade, mas com prevalência maior em mulheres, principalmente durante a gestação e nos indivíduos em geral na fase adulta, após os 40 anos.

3. CÃIMBRAS SÃO SINÔNIMO DE DOENÇA CIRCULATÓRIA?

Não, apesar de ser motivo habitual de consultas, onde o paciente associa e preocupa-se em tratar-se de doença circulatória, até mesmo grave.

4. QUAL(IS) CAUSA(S)?

As causas são diversas :

- Idiopáticas (ou seja, sem causa determinável);
- Gestacional (principalmente nos três últimos meses de gestação, atingindo 50% das gestantes, neste período;
- Alterações eletrolíticas (por alterações nas concentrações sanguíneas de eletrólitos, após perdas contínuas, após gastroenterites, grandes exposições ao sol ou calor intenso, uso continuado de diuréticos...);
- Fisiológicas (exercícios físicos vigorosos, determinando diminuição do magnésio e cálcio intramuscular);
- Doenças neurológicas (neuropatias periféricas, Doença de Parkinson, esclerose múltipla;
- Metabólicas (hipotireoidismo, diabetes, insufic. adrenal, hiperparatireoidismo, cirrose hepática);
- Doenças vasculares artério-venosas crônicas (provavelmente por isquemia muscular determinada nas artériopatias obstrutivas crônicas). VER mais detalhes sobre esta enfermidade neste mesmo SITE – Tema: ”Doença arterial Obstrutiva Crônica – DAOC”.
- Nos pacientes submetidos a hemodiálise, ou diálise peritoneal (por alterações eletrolíticas), Medicamentosa (diuréticos, inibidores dos canais de álcio, betabloqueadores, hipolipemiantes, beta-agonistas, insulinas...)

Existe parcela considerável da população que tem câimbras noturnas, geralmente determinadas por fadiga de excesso de atividades diurnas, ou mesmo estresse emocional intenso, acordando o indivíduo a noite com fortes câimbras.

5. MERECE INVESTIGAÇÕES LABORATORIAIS?

Sim, quando muito intensas e muito freqüentes. Aqui cabe uma análise laboratorial (hemograma, dosagens de eletrólitos: Na, K, Ca, Mg, provas de função de hepática e renal, glicemia, Hormônios tireóide – TSH, T4), em situações muito especiais eletroneuromiografia, e até exame de Neuroimagem.

6. QUAL O TRATAMENTO PARA AS CÃIMBRAS?

Identificando-se a causa, tratá-la. Nos pacientes sedentários, é recomendável exercícios físicos leves e habituais (caminhadas, alongamentos musculares), banhos quentes mornos, hidratação adequada, uso racional das medicações (ou até substituições, se possível).

Quando houver a necessidade de usar medicação específica, sugere-se sulfato de quinino 300mg 1 vez/dia – reduzem os episódios em 25%, entretanto exige supervisão médica durante o uso, principalmente em idosos e renais crônicos, evitando-se em doentes hepáticos (hepatite, cirrose, portadores de hepatite C...), ou mesmo, ansiolíticos ao deitar: Clordiazepóxido 25mg/deitar – 1 vez/dia.

 

Rua Três de Maio, nº 1040 - Pelotas/RS - Fone: (53)32253164