COMO EU TRATO A TROMBOSE VENOSA?

 

INTRODUÇÃO

A trombose venosa é um processo patológico que se instala nas veias decorrente de vários fatores e determinando complicações diversas. Quando instalado nas veias superficiais (supraaponeuróticas), envolvendo as veias safenas magna e/ou parva, ou suas veias afluentes do sistema safeno. Nesta circunstância denominamos de FLEBITE,ou VARICOTROMBLOFLEBITE, quando há enduração. Havendo comprometimento das veias profundas, infra-aponeuróticas, teremos uma TROMBOSE VENOSA PROFUNDA, ou FLEBOTROMBOSE, um quadro seguramente mais grave, igualmente com consequências mais sérias, em especial a embolia, geralmente pulmonar.

FATORES DE RISCO

- Redução do fluxo sanguíneo (acamados, imobilidade gessada, cirurgias prolongadas, viagens longas, varizes significativas, deformidades ortopédicas com déficit de mobilização, fraturas, traumas de membros...)
- Lesões venosas parietais (trauma vascular, infecções severas, medicações endovenosas,
- Hipercoagulabilidade sanguínea (em câncer, hemorragias, coagulopatias genéticas...)
- Maiores de 40 anos
- Obesidade
- Acidente vascular cerebral
- Gestação
- Anovulatórios e reposição hormonal
- Enfermidades crônicas
- Infecções graves
- Enfermidades cardíacas e/ou respiratórias graves

COMO EU TRATO?

- Repouso no leito com membro elevado, com maior ou menor intensidade quanto maior a gravidade da trombose
- Anticoagulação com heparina, ou anticoagulantes orais. Nos casos mais sérios preferimos a heparinização endovenosa, ou subcutânea nos casos mais brandos. A heparina pode ser não fracionada (HNF), ou heparina de baixo peso molecular (HBPM).
A HNF (não-fracionada) atua nos fatores II,IX , X,XI e XII e impede a conversão do fibrinogênio em fibrina. Tem ação imediata após administração EV,decresce em 15 min. E reativa em 30-90 min. Tem baixo custo e pode ser usado em crianças e gestantes, não a travessa a placenta. Monitorada pelo tempo de tromboplastina parcial ativado (TTPA), ou tempo de coagulação que devem ficar 2,5 vezes acima do valor normal.
A HBPM (baixo peso molecular) age no fator X, com menor risco de hemorragia e plaquetopenia, tem meia vida de 2-4 horas e ação por 24 horas, não necessitando de monitorização laboratorial.
Doses:
- enoxiparina (1mg/kg a cada 12horas)
- nadroparina (200UI/kg a cada 24horas)
- dalteparina (200Ui/kg a cada 24horas)
Tem o inconveniente do alto custo.

- Anticoagulação oral : varfarina v.oral, é barato, controlar a dose com o RNI (mantendo-o 2-3xo valor normal que é 1). Não usar em criança e gestantes (atravessa a placenta, pode provocar hemorragia, ou malformação congênita). Age inibindo os fatores de coagulação vitamina K dependentes (fatores II,VII,IX e X)

PROFILAXIA

- Risco Moderado:
- enoxiparina 20 mg SC 1x/d
- nadroxiparina 0,3 ml SC 2h antes da cirurgia
- heparina 5.000 UI SC 12/12h

- Risco Elevado:
- enoxiparina 40 mg SC 1x/d
- nadroxiparina 0,6 ml SC 12h antes da cirurgia, seguido de aplicação diária
- heparica 5.000 UI SC 8/8h

CONTRA INDICAÇÔES PARA O USO DE ANTICOGULANTES

Absolutas:
- hemorragia vigente
- AVC hemorrágico ou trauma do SN
- Coagulopatias


Relativas:
- HAS severa e refratária
- Endocardite bacteriana
- Hemorragia digestiva recente
- Plaquetopenia menor 100.000
- Idade avançada

 

 


 

Rua Três de Maio, nº 1040 - Pelotas/RS - Fone: (53)32253164