ESCABIOSE (“Sarna”)

DESCRIÇÃO
Parasitose cutânea, vesiculosa, ou papular pruriginosa; causada por um ácaro. Al lesões tem predileção pelas áreas cobertas pela roupa e em dobras cutâneas. Pode instalar-se entretanto em qualquer área do corpo. O prurido aumenta a noite, a exposição ao calor
AGENTE CAUSAL
Sarcoptes scabei
RESERVATÓRIO
Homem
TRANSMISSÃO
Direta de pessoa-a-pessoa, ou objeto contaminados (roupas, toalhas, lençóis...).
Que pode ocorrer em qualquer período da afecção
INCUBAÇÃO
1 dia a 6 semanas
COMPLICAÇÕES
Infecção secundária das lesões e todas as suas conseqüências decorrentes desta infecção
DIAGNÓSTICO CLINICO – pelas manifestações clínicas e o aspecto das lesões (eritema-pápulo-vesiculosas)
LABORATORIAL – pela visualização do ácaro a microscopia, ou biópsia da pele
TRATAMENTO ORAL – ivermectina, dose única; dose – até 25 kg -1/2 compr
(repetir em 7 dias) 25-35 kg - 1 compr
35-50 kg – 1 ½ compr.
50-65 kg – 2 compr.
65-80 kg – 2 ½ compr.
Acima 80 kg – 3 compr.
TÓPICO – permetrina a 5% creme à noite, por 6 noites
Deltametrina em loções e shampoos
MEDIDAS DE CONTROLE RECOMENDAÇÃO: 1. Trocar as roupas que tenham contato com a pele diariamente, expô-las ao sol, ou mesmo fervê-las
2. Tratar todos da família
3. Higiene domiciliar criteriosa
4. Afastar o doente do trabalho, ou escola até 24h após o termino do tratamento
5. Nos enfermos hospitalizados e afetados pela Escabiose,
Instalar o isolamento do contaminado para a prevenção da disseminação da parasitose

Fonte : Guia de Bolso (Doenças infecciosas e Parasitárias/Ministério da Saúde – Brasília – DF, 2010)

 

 

 

Rua Três de Maio, nº 1040 - Pelotas/RS - Fone: (53)32253164