LEPTOSPIROSE

AGENTE CAUSADOR
Uma espiroqueta do gênero Leptospira, espécie interrogans é a que causa a enfermidade
TRANSMISSIBILIDADE
A partir do contato com animais. A leptospira pode permanecer longo período nos rins de ratos e ser transmitido ao homem pela urina de ratos infectados
PORTA DE ENTRADA
Geralmente a boca, ou mucosa nasal, conjuntiva ocular, ou lesão na pele. O trato gastrointestinal (o suco gástrico ácido) pode oferecer obstáculo a entrada do agente
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
A infecção é assintomática, ou subclínica. Incubação de 7-14 dias. Tem manifestação ictérica, ou anictérica. Na forma anictérica existem 2 fases: - SEPTICEMICA (em torno de 8dias), com a leptospira no sangue, LCR...; há febre, cefaléia, mialgia de panturrilhas, prostração, hemorragia subconjuntival – nos casos graves hemorrágicos, hepato-esplenomegalia, pancreatite, tosse, hemoptise; segue a fase IMUNE (de 5 à 30 dias)com ausência da leptospira no sangue e presença de anticorpos circulantes.
A forma ictérica é grave, que além das mesmas manifestações da forma anictérica, apresenta fenômenos hemorrágicos, vasculite
LABORATÓRIO
Hemograma: anemia, leucocitose com desvio a esq, trombocitopenia;
O envolvimento hepático causa elevação das aminotransferases que não excedem 200U/l, elevação da bilirrubina direta. Elevações uréia e creatinina, K sérico normal, ou diminuído. ECU com piúria, hematúria. Elevação da CPK.
DIAGNÓSTICO
Pesquisa da leptospira em campo escuro, ou cultural de sangue, urina, ou LCR; Reação sorológica de aglutinação macroscópica, ou Teste de fixação de complemento – método ELISA (em 4-5 dias mostra AntiCorpos). A reação de aglutinação microscópica com títulos de 1/100 com intervalos de 7-10dias dão uma especificidade importante
TRATAMENTO Havendo desidratação é importante reposição hidroeletrolítica efetiva, porém havendo comprometimento respiratório deve haver cautela. Correção da baixa do potássio, quando presente. Os antibióticos são controversos – mas o seu uso diminuem os dias de febre, diminuem as complicações (renais, hepáticas...). Prefere-se penicilinaG (2,4 a 3,6 milhões de unidades/dia), ou tetraciclina (2g/dia), ou ampicilina (2-4g/dia). O uso precoce dos antibióticos (até o 4º dia) trazem resultados benéficos. São alternativas: amoxicilina (2g/dia), ou doxicilina (200mg/dia). Usar medicação microbiana por 5 à 10 dias. É recomendável SEMPRE usar microbianos, até a certeza laboratorial.
PROFILAXIA Doxicilina 200mg/dia

 

 

 

Rua Três de Maio, nº 1040 - Pelotas/RS - Fone: (53)32253164