TOXOPLASMOSE

1. O QUE É TOXOPLASMOSE?

É uma doença infecciosa, de distribuição global, causada pelo protozoário denominado toxoplasma gondi, presente em todos os mamíferos e aves.

2. COMO É ADQUIRIDA?

Pela ingesta de carne crua, ou mal cozida, água contaminada ou transmissão transplacentária de mãe contaminada. Os profissionais de matadouros são mais vulneráveis de contrair a doença.

3. PODE SER TRANSMITIDA DE PESSOA A PESSOA?

Não.É raro a transmissividade por transfusão de sangue,transplantes de órgãos,ou acidentes de laboratório.O homem e os animais adquirem a infecção pela ingestão dos oocistos presentes no solo,nos vegetais,ou nos tecidos de animais infectados

4. QUAIS AS MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS?

É muito diversificada, depende do sítio acometido.

TOXOPLASMOSE
MANIFESTAÇÕES

ADQUIRIDA

-ASSINTOMÁTICA EM 80-90% DAS SITUAÇÕES
- FORMA SINTOMÁTICA: febre insidiosa, sintomas gerais moderados adenopatias generalizadas, crescimento do fígado e baço, rush cutâneo eventual (duração 2 meses). Raramente afeta as vísceras, a mais importante é o globo ocular (coriorretinite)
CONGÊNITA
- É mais grave quanto mais precoce for adquirida durante a gestação (no 1º trimestre leva ao óbito fetal, ou abortamento; nos sobreviventes causa severas malformações congênitas, principal SNC, com coriorretinite, calcificações cerebrais, surdez, microcefalia, retardo mental...)

CORIORRETINITE

- Frequente. Com lesões necrotizantes retinianas, visíveis ao exame de fundo de olho como exsudatos algodonosos com pigmentação negra nos bordos das lesões
- Unilaterais (nas adquiridas) e Bilaterais (nas congênitas)
EM IMUNODEPRIMIDOS
- Manifesta reativação de uma infecção latente. Compromete o SN como meningoencefalites, formações de massas encefálicas que simulam tumores cerebrais (geralmente lesões múltiplas acima da tenda do cerebelo) - com cefaléia, confusão, tonturas, convulsões.

5. COMO SE FAZ O DIAGNÓSTICO?

As manifestações clínicas fazem suspeitar: abortamentos, geração de filhos com malformações congênitas, alterações visuais (DADO IMPORTANTÍSSIMO, por ser freqüente), alterações neurológicas... É encaminhado a confirmação diagnóstica como exames complementares (sangue reação imunológica; tomografia cerebral computadorizada – para identificar lesões cerebrais, que demonstram lesões únicas ou múltiplas, hipodensas, com realce periférico (“imagem em anel”, sinais de edema cerebral. Em situação de lesão única, está indicado Ressonância Magnética Nuclear, que é mais sensível. Nos acometidos de HIV a Ressonância Magnética Nuclear deve ser realizada de imediato. A biópsia cerebral tem indicação se nos 7 dias iniciais de tratamento houver piora do quadro.

6. COMO SE ANALISAM OS RESULTADOS LABORATORIAIS SANGUÍNEOS?

A técnica imunológica mais usada é a reação de imunofluorescência indireta (IFA) com pesquisa de anticorpos IgG e IgM para toxoplasmose e reação de ligação imunoenzimática (ELISA) para IgG e IgM; com as seguintes interpretações:

SITUAÇÃO
RESULTADO

INFECÇÃO AGUDA

IgG acima de 1/4000 e IgM acima de 1/256
INFECÇÃO RECENTE
IgG acima de 1/4000 e IgM menor 1/256, ou negativos

INFECÇÃO ANTIGA/CRÔNICA

IgG abaixo de 1/4000 e IgM baixos ou negativos

Tais interpretações laboratoriais são muitas vezes inadequadas. Na toxoplasmose congênita pode acusar qualquer título de IgM. Na CORIORRETINITE é freqüente títulos baixos de IgG e negativos de IgM. Nos indivíduos imunodeprimidos, como a produção de anticorpos é limitada, a interpretação dos resultados acima pode ficar totalmente comprometida e como a maioria dos imunodeprimidos estão representados pelos portadores de AIDS, a tomografia e ressonância cerebrais passam a ser fundamentais.

7. QUAL O TRATAMENTO PARA A TOXOPLASMOSE?

O tratamento geralmente conjuga a associação de medicamentos, em especial a associação de Pirimetamina +Sulfadiazina. Na intolerância a sulfadiazina, ou alergia a sulfas, pode haver a substituição por clindamicina.

Existem outras alternativas terapêuticas: associação sulfametoxazol+trimetropin, claritromicina, azitromicina, roxitromicina, doxiciclina, trimetrofano e atovaquona. Em gestantes está contra-indicado o uso de pirimetamina, pela possibilidade de lesão fetal. Os esquemas terapêuticos são definidos conforme a fase, a medicação escolhida..., porém sempre por 4 a 8 semanas.

Os esquemas mais usuais,são:
- sulfadiazina (1,0-1,5g via oral de 6/6h) + pirimetamina (200mg via oral no 1ºdia, seguido de 50 à 100mg em dose única diária) + ác.folínico (10 20mg Via oral ou IV,diária) – para a prevenção da anemia
- sulfametoxazol + trimetropin - 12/12h por 30 dias
- clindamicina (450-600mg via oral, ou IV 6/6h + pirimetamina) (idem)

8. QUAIS AS COMPLICAÇÕES?

É o comprometimento neurológico, que pode progredir em dias ou semanas, manifestações de convulsões, estupor, coma, óbito; Coriorretinite, Pneumonia...

9. QUAL A PREVENÇÃO?

É fundamental a ingesta de alimentos (carnes) adequadamente cozidos. Evitar carnes cruas. Em portadores de AIDS/HIV com contagem de CD4 menores que 100 células/mm³ está indicada a associação sulfametoxazol + trimetroprim (800+160, via oral, dose única/dia). Quando houver intolerância a sulfa, usar dapsona (50mg Via oral, dose diária) + pirimetamina (50mg Via oral, 1 vez semana) + ácido folínico (25mg,via oral 1vez/semana). A prevenção pode ser descontinuada quando a contagem de CD 4 sobe para mais de 200 células/mm³ pelo período mínimo de 3 meses.

DICAS IMPORTANTÍSSIMAS:

* NÃO CONSUMIR CARNES (DE QUALQUER ORIGEM) CRUAS OU MAL COZIDAS
* USAR LUVAS DE BORRACHA AO MANUSEAR VISCERAS ANIMAIS
* MANTER EM DIAS AS VACINAS DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS DE ESTIMAÇÃO

 

Rua Três de Maio, nº 1040 - Pelotas/RS - Fone: (53)32253164