ÚLCERAS RETROAQUILEANAS

INTRODUÇÃO

A úlcera retroaquileana (zona posterior da perna, suprajacente ao tendão de Aquiles) é uma lesão que ocorre espontaneamente, ou associado a outros fatores: diabetes, arterioesclerose, atrito (em idosos acamados)...

EVOLUÇÃO

Geralmente iniciam com lesões pequenas (0,5cm de diâmetro), mas dado a condições adversas (escassez de tecido subcutâneo, microtraumatismo, vasculopatia com isquemia), evoluem e podem alcançar tamanhos expressivos.

TRATAMENTO

O tratamento destas lesões ulceradas, são um desafio, dado as condições adversas para a sua cicatrização motivados por um escasso leito subcutâneo. Os curativos arrastam-se por meses ou anos, muitas das vezes sem sucesso.

Nos idos de 1984, um colega médico idealizou um procedimento técnico heróico, Tenotomia Aquileana, objetivando um leito de melhor cicatrização, baseados em princípio fundamental de cirurgia plástica. Naquela ocasião o Angiologista idealizador (Dr.Luis Pedro Rushel), meu professor Universitário, convidou-me a participar desta técnica inovadora, pioneira. Os resultados foram sobremaneiramente alentadores, resultando em trabalho científico publicado na Revista da Associação Médica do Rio Grande do Sul edição out/dez de 1984. Desde então temos adotado tal procedimento com sucesso estimulador.

TÉCNICA CIRÚRGICA

O procedimento cirúrgico só deverá ser executado após completa esterilização da úlcera.

Faz-se um incisão longitudinal a partir da lesão ulcerada. Por divulsão expõe-se o tendão de Aquiles. Procede-se a desinserção distal deste tendão ao nível do calcâneo. A secção cranial do Tendão de Aquiles é feita no ponto em que se evidencia a existência de tecido muscular. Desta forma concluiu-se a tenotomia Aquileana. Deixa-se a aponeurose e o tecido subcutâneo livres. Sutura-se a parte superior da incisão cutânea com pontos separados. A parte restante da ferida operatória, incluindo a úlcera, ficará aberta que deverá cicatrizar por segunda intensão.

RESULTADOS

Os resultados são alentadores. Em poucos meses a área cruem cicatriza. A deambulação estabelece quase normal. Os músculos acessórios da loja posterior da perna compensam (tibial posterior, flexor longo do hálux e flexor longo dos dedos). Como é patologia com maior incidência em idosos, a exigência primordial é a cicatrização cutânea.


 

Rua Três de Maio, nº 1040 - Pelotas/RS - Fone: (53)32253164